O presidente da Comissão Especial da OAB da Verdade sobre a Escravidão Negra no Brasil e da comissão correspondente na OAB-RJ, Humberto Adami, participou do Novembro negro e de luta, evento alusivo ao Dia da Consciência Negra, comemorado nesta quarta-feira (20), na seccional fluminense. 

Foi realizada uma rodada de debates com a participação do antropólogo e escritor Luiz Eduardo Soares; do coletivo de luta e resistência Mães de Manguinhos e da policial e integrante do coletivo de Policiais Antifascismo, Janaína Matos. O evento terá nova e última rodada no próximo dia 27, quando o próprio Humberto Adami falará sobre Luiz Gama e a defesa do Estado democrático de Direito. 

“O Dia da Consciência Negra tornou-se o Mês da Consciência Negra diante de tantos eventos alusivos à causa realizados em novembro. Isso é muito bom porque traz esse tema tão importante para o debate, mas não é suficiente. Eu tenho por meta a reparação da escravidão no Brasil, trabalho que vem sendo desempenhado diuturnamente pelas comissões que cuidam do tema. É um assunto difícil, que levará muito tempo para alcançar os resultados efetivos de reparação, mas todo dia temos um pouco mais de demonstrações neste sentido, seja de auto reparação, reparação com as pessoas ou e resgate da história”, apontou Adami.

O presidente da comissão lembrou também que há um esforço coletivo da subseções da OAB do sul fluminense para que a história do líder da maior rebelião de escravos do Vale do Paraíba, Manuel Congo, seja um dos tópicos debatidos na XXIV Conferência Nacional da Advocacia Brasileira, que acontecerá de 16 a 18 de novembro de 2020, em Brasília. 

Fale conosco no whatsapp!