Síndrome do Impacto do Fêmur Acetabular (Impacto do Quadril)

O impacto entre o fêmur e o acetábulo (Impacto femoroacetabular) é uma causa frequente de dor no quadril. A síndrome é a principal causa de lesões do labrum acetabular e da cartilagem do quadril em adultos jovens. Esta patologia tem sido cada vez mais diagnosticada, estudada e entendida.

 

 

É consenso que o impacto é responsável por uma significativa parcela dos casos de artrose precoce.

 

Tipos de deformidades

Existem dois tipos de deformidades que provocam o impacto da cabeça femoral contra o acetábulo: tipo Cam e tipo Pincer. A deformidade tipo Cam é caracterizada pelo contorno anormal da transição entre colo e cabeça femoral. A deformidade tipo Pincer representa a cobertura excessiva da cabeça femoral pelo acetábulo ou um erro de torção do acetábulo. Na maioria dos casos, estas duas deformidades estão associadas, caracterizando o que chamamos de impacto tipo Misto.

 

Causas

A Síndrome do Impacto Femoroacetabular é comum principalmente em corredores e praticantes de esportes que envolvem flexão e rotação dos quadris, como surf, tênis, futebol e artes marciais. Mas não ocorre exclusivamente em atletas. Pode ocorrer também em pacientes não atletas quando existem

alterações do comportamento motor associado a alterações morfológicas. A queixa é de dor na raiz da coxa irradiada para a região de dentro da coxa ou joelho e pode estar associada a dor na região lateral do quadril (região trocanteriana).

 

Diagnóstico

O diagnóstico é realizado através de histórico do paciente, exame físico (testes específicos) e exames complementares (radiografias, tomografia computadorizada, ressonância magnética) comprovando as alterações morfológicas e lesões da síndrome.

 

Tratamentos

Métodos de tratamento conservadores podem ser iniciados nos primeiros meses. Incluem-se medicações para dor, mudanças nas atividades físicas e técnicas fisioterapêuticas. O tratamento desta lesão pode ser iniciado com fisioterapia, visando à reeducação muscular e postural, e reequilíbrio dos músculos estabilizadores do quadril e pelve visando melhora do gesto motor. Isto pode ser efetivo, principalmente em pacientes com disfunções motoras associadas a Síndrome do Impacto Femoroacetabular com deformidades menores, onde estão preservadas as rotações no quadril.

Nos casos de falha do tratamento conservador e pacientes com deformidades e limitações mais severas, o tratamento cirúrgico está indicado e é realizado comumente através da videoartroscopia. Este procedimento consiste numa técnica minimamente invasiva de acessar a articulação através de cânulas especiais e possibilita o manuseio de tecidos com uso de instrumentos longos através de mini incisões, permitindo a remoção dos contornos ósseos anormais e tratamento de lesões da cartilagem. Na presença de lesão do labrum (fibricartilagem que compõe a articulação do quadril), ele também deve ser reparado com o auxílio de dispositivos ortopédicos chamados de ?âncoras?.

 

Fonte: American Academy of Orthopaedic Surgeons