Empresários de Sucesso: CAORT

Síndrome do Impacto do Fêmur Acetabular (Impacto do Quadril)

O impacto entre o fêmur e o acetábulo (Impacto femoroacetabular) é uma causa frequente de dor no quadril. A síndrome é a principal causa de lesões do labrum acetabular e da cartilagem do quadril em adultos jovens. Esta patologia tem sido cada vez mais diagnosticada, estudada e entendida.

 

 

É consenso que o impacto é responsável por uma significativa parcela dos casos de artrose precoce.

 

Tipos de deformidades

Existem dois tipos de deformidades que provocam o impacto da cabeça femoral contra o acetábulo: tipo Cam e tipo Pincer. A deformidade tipo Cam é caracterizada pelo contorno anormal da transição entre colo e cabeça femoral. A deformidade tipo Pincer representa a cobertura excessiva da cabeça femoral pelo acetábulo ou um erro de torção do acetábulo. Na maioria dos casos, estas duas deformidades estão associadas, caracterizando o que chamamos de impacto tipo Misto.

 

Causas

A Síndrome do Impacto Femoroacetabular é comum principalmente em corredores e praticantes de esportes que envolvem flexão e rotação dos quadris, como surf, tênis, futebol e artes marciais. Mas não ocorre exclusivamente em atletas. Pode ocorrer também em pacientes não atletas quando existem

alterações do comportamento motor associado a alterações morfológicas. A queixa é de dor na raiz da coxa irradiada para a região de dentro da coxa ou joelho e pode estar associada a dor na região lateral do quadril (região trocanteriana).

 

Diagnóstico

O diagnóstico é realizado através de histórico do paciente, exame físico (testes específicos) e exames complementares (radiografias, tomografia computadorizada, ressonância magnética) comprovando as alterações morfológicas e lesões da síndrome.

 

Tratamentos

Métodos de tratamento conservadores podem ser iniciados nos primeiros meses. Incluem-se medicações para dor, mudanças nas atividades físicas e técnicas fisioterapêuticas. O tratamento desta lesão pode ser iniciado com fisioterapia, visando à reeducação muscular e postural, e reequilíbrio dos músculos estabilizadores do quadril e pelve visando melhora do gesto motor. Isto pode ser efetivo, principalmente em pacientes com disfunções motoras associadas a Síndrome do Impacto Femoroacetabular com deformidades menores, onde estão preservadas as rotações no quadril.

Nos casos de falha do tratamento conservador e pacientes com deformidades e limitações mais severas, o tratamento cirúrgico está indicado e é realizado comumente através da videoartroscopia. Este procedimento consiste numa técnica minimamente invasiva de acessar a articulação através de cânulas especiais e possibilita o manuseio de tecidos com uso de instrumentos longos através de mini incisões, permitindo a remoção dos contornos ósseos anormais e tratamento de lesões da cartilagem. Na presença de lesão do labrum (fibricartilagem que compõe a articulação do quadril), ele também deve ser reparado com o auxílio de dispositivos ortopédicos chamados de ?âncoras?.

 

Fonte: American Academy of Orthopaedic Surgeons

Síndrome do Túnel do Carpo

A Síndrome do Túnel do Carpo é uma condição comum que causa dor, dormência e formigamento na mão e/ou no braço. Esta condição ocorre quando um dos principais nervos da mão – o nervo mediano – é comprimido NO PUNHO.

Na maioria dos pacientes, a Síndrome do Túnel do Carpo piora com o tempo, por isso o diagnóstico e o tratamento precoces são importantes. No início, os sintomas podem ser aliviados com medidas simples, como usar uma tala NO PUNHO ou evitar certas atividades.

No entanto, se a pressão no nervo mediano persistir, pode levar a danos nos nervos e agravamento dos sintomas. Para evitar danos permanentes, a cirurgia para tirar a pressão do nervo mediano pode ser recomendada para alguns pacientes.

 

Anatomia

O túnel do carpo é uma passagem estreita no PUNHO, com cerca de uma 2,5cm de largura. A base e as laterais do túnel são formados por pequenos ossos do PUNHO chamados ossos do carpo.

O parte superior do túnel é uma forte faixa de tecido conjuntivo chamada ligamento carpal transverso. Como esses limites são muito rígidos, o túnel do carpo tem pouca capacidade de “alongar” ou aumentar de tamanho.

O nervo mediano é um dos principais nervos da mão. Origina-se como um grupo de raízes nervosas no pescoço. Essas raízes se juntam para formar um único nervo no braço. O nervo mediano desce pelo braço e antebraço, passa pelo túnel do carpo no PUNHO e entra na mão. O nervo proporciona SENSIBILDADE nos dedos polegar, indicador, médio e anular. O nervo também controla os músculos ao redor da base do polegar.

Os nove tendões que dobram os dedos e o polegar também percorrem o túnel do carpo. Esses tendões são chamados de tendões flexores.

 

Como ocorre

A Síndrome do Túnel do Carpo ocorre quando o túnel se torna estreito ou quando os tecidos que circundam os tendões flexores incham, exercendo pressão sobre o nervo mediano. Esses tecidos são chamados de tecidos sinoviais. Normalmente, o tecido sinovial lubrifica os tendões, facilitando a movimentação dos dedos.

Quando o tecido sinovial incha, ocupa espaço no túnel do carpo e, ao longo do tempo, COMPRIME o nervo. Essa pressão anormal no nervo pode resultar em dor, dormência, formigamento e fraqueza na mão.

 

Sintomas

Os sintomas da Síndrome do Túnel do Carpo podem incluir:

Dormência, formigamento, queimação e dor – principalmente nos dedos polegar e indicador, médio e anular

Sensações ocasionais semelhantes a choque que irradiam para os dedos polegar e indicador, médio e anular

Dor ou formigamento que pode subir pelo antebraço em direção ao ombro

Fraqueza e falta de jeito na mão – isso pode dificultar a realização de movimentos finos, como abotoar suas roupas

Soltando coisas – devido a fraqueza, dormência ou perda de propriocepção (consciência de onde sua mão está no espaço)

Na maioria dos casos, os sintomas da síndrome do túnel do carpo começam gradualmente – sem uma lesão específica. Muitos pacientes acham que seus sintomas vêm e vão no início. No entanto, à medida que a condição piora, os sintomas podem ocorrer com mais frequência ou podem persistir por períodos mais longos.

Os sintomas noturnos são muito comuns. Como muitas pessoas dormem com os punhos dobrados, os sintomas podem acordá-lo do sono. Durante o dia, os sintomas geralmente ocorrem quando você segura algo por um período prolongado de tempo com o PUNHO inclinado para frente ou para trás, como ao usar um telefone, dirigir ou ler um livro.

Muitos pacientes acham que se mexer ou sacudir as mãos ajuda a aliviar os sintomas.

 

Tratamento

Embora seja um processo gradual, para a maioria das pessoas a Síndrome do Túnel do Carpo vai piorar ao longo do tempo sem alguma forma de tratamento. Por este motivo, é importante ser avaliado e diagnosticado pelo seu médico desde o início. Nos estágios iniciais, pode ser possível retardar ou interromper a progressão da doença.

Tratamento não cirúrgico

Se diagnosticado e tratado precocemente, os sintomas da síndrome do túnel do carpo podem ser aliviados sem cirurgia. Se o seu diagnóstico for incerto ou se os seus sintomas forem leves, o seu médico recomendará primeiro o tratamento não cirúrgico.

Tratamentos não-cirúrgicos podem incluir:

Usar DE tala à noite evitará que você dobre seu PUNHO enquanto dorme. Manter o PUNHO em uma posição reta ou neutra reduz a pressão sobre o nervo no túnel do carpo. Também pode ajudar a usar uma tala durante o dia ao fazer atividades que agravam seus sintomas.

O uso de medicamentos anti-inflamatórios podem ajudar a aliviar a dor e o desconforto.

Mudanças de atividade. Os sintomas geralmente ocorrem quando a mão e o pulso estão na mesma posição por muito tempo, principalmente quando o PUNHO está FLETIDO ou estendido.

Se o seu trabalho ou atividades recreativas agravam seus sintomas, alterar ou modificar essas atividades pode ajudar a retardar ou interromper a progressão da doença. Em alguns casos, isso pode envolver alterações no site de trabalho ou na estação de trabalho.

Exercícios de deslizamento do nervo. Alguns pacientes podem se beneficiar de exercícios que ajudam o nervo mediano a se mover mais livremente dentro dos limites do túnel do carpo. Exercícios específicos podem ser recomendados pelo seu médico ou terapeuta.

Injeções de esteróides. O corticosteróide, ou cortisona, é um poderoso agente anti-inflamatório que pode ser injetado no túnel do carpo. Embora essas injeções muitas vezes aliviem os sintomas dolorosos ou ajudem a acalmar os sintomas, seu efeito às vezes é apenas temporário. Uma injeção de cortisona também pode ser usada pelo seu médico para ajudar a diagnosticar sua Síndrome do Túnel do Carpo.

Tratamento cirúrgico

Se o tratamento não cirúrgico não aliviar seus sintomas após um período de tempo, seu médico pode recomendar cirurgia.

A decisão de fazer uma cirurgia baseia-se na gravidade dos sintomas – quanta dor e dormência você tem na mão. Em casos de longa duração com dormência constante e perda dos músculos do polegar, a cirurgia pode ser recomendada para evitar danos irreversíveis.

Procedimento Cirúrgico O procedimento cirúrgico realizado para a síndrome do túnel do carpo é chamado de “liberação do túnel do carpo”. Existem duas técnicas cirúrgicas diferentes para fazer isso, mas o objetivo de ambas é aliviar a pressão no nervo mediano cortando o ligamento que forma o teto do túnel. Isso aumenta o tamanho do túnel e diminui a pressão no nervo mediano.

As duas técnicas são: Por cirurgia aberta ou por liberação endoscópica do túnel do carpo.

Os resultados da cirurgia aberta e da cirurgia endoscópica são semelhantes. Existem benefícios e riscos potenciais associados a ambas as técnicas. Seu médico irá conversar com você sobre qual técnica cirúrgica é melhor para você.

 

Fonte: American Academy of Orthopaedic Surgeons